A água estava fria, eu não conseguia ver o fundo e, além disso tenho medo de altura. Por isso, depois de escalar uma enorme rocha, a ideia de saltar na água daquela altura, com uma cachoeira ao lado, exigia uma coragem que eu não tinha. Porém o salto era inevitável, pois não havia outra saída. Relutei até que um amigo, que já havia pulado, me disse que eu não tinha o que temer e que ele estaria em esperando na água. Ainda me falou que alguns têm tanto medo de pular que preferem ser jogados na água. Como eu tive escolha, dei o passo sem volta.

Água, altura, correnteza, pedras, medo, decisão. Parece a receita de uma grande aventura chamada vida. Iniciamos a subida ainda novos. Os desa os são grandes, vão desde aprender a andar para um bebê, uma prova de vestibular ou recolocação no mercado de trabalho. São pedras enormes que tentamos vencer. Podem ser problemas de saúde, nanceiros ou familiares. São obstáculos que nos fazem subir cada vez mais alto e nos fazem esquecer de que no nal todos terminaremos na água.

Nessa jornada temos um amigo, chamado Cristo, que pulou antes de nós.

Ele voltou para nos encorajar, dizendo que não há o que temer, que é seguro e que vai nos aguardar. Uma amiga falou do pai que enfrenta um câncer, doença maldita que logo o jogará na água. Há poucos dias um jovem brilhante, cheio de vida e sonhos, que participou ativamente do Doe Suas Férias em Xavantina, pulou nas águas da eternidade. Ninguém esperava e até agora muitos não acreditam que isso aconteceu. Mas ele pulou, acredito que não estava sozinho na hora do salto.

Confesso que saltar daquela pedra foi assustador, mas quando me vi dentro da água senti uma alegria inexplicável. Em algum momento da vida daremos o salto rumo à eternidade. Não tenha vergonha de sentir medo, mas se prepare para algo que você nunca viu ou ouviu, algo que ainda não desceu ao coração humano, esteja pronto para se encontrar com Jesus na água.