Luzes, músicas, sinos, enfeites, presépios, papais-noéis... por todos os lados estamos bombardeados por artigos que fazem referencia a 25 de dezembro, o Natal. Vem-me à lembrança aqueles filmes natalinos (Esqueceram de mim), onde há corais de crianças, luzes e neve, muita neve. Estas lembranças mostram a força da cultura norte americana em nossa sociedade. Se bem que neve nesta época seria maravilhoso.

Inclusive as cidades investem muito dinheiro (com essa crise, nem tanto) em artigos natalinos para impulsionar o turismo. Aqui em Blumenau a Secretaria de Turismo promove o “Magia de Natal” e convidou o grupo Cristo em Foco para apresentar 5 vezes uma peça de natal (este ano será o espetáculo “A floresta e as árvores sonhadoras” Lá na Vila de Natal – Vila Germânica). No pavilhão da Oktober a Big Band Praise in Jazz e coral farão uma bela apresentação musical (a melhor do gênero da cidade) no dia 10 de dezembro às 18:30 horas. Em fim, eventos que falam da alegria do natal não faltarão. Sem falar nos desfiles, fantasias, cores, etc...

Sei que alguém pode achar estranho, mas apesar de tudo isso um grande numero de pessoas percebem-se tristes nesta época do ano.

Vem uma melancolia, uma sensação de que “todo mundo está no clima” e você parece que não consegue acompanhar, parece fora desta história. Você é invadido por uma estranha sensação de tristeza e nostalgia. Vem muitas lembranças de reuniões familiares (aquela “primarada” toda), que desencadeiam outras lembranças da infância; como entes queridos que talvez já partiram, como os pais o tratavam, aquele presente inesquecível que você ganhou da tia, avós, etc...

Nessa época parece que supervalorizamos eventos passados nos quais nos sentimos rejeitados ou incompreendidos.

Uma lembrança puxando outra. É a época em que mais lembramos da infância, e a maioria destas lembranças vem acompanhada da nostalgia, um misto de saudade com tristeza, um pouquinho de alegria. Com os anos, essa tristeza parece aumentar e o natal perde a graça.

Logo, o problema não é o Natal em si, mas sim o maior numero de vezes que lembramos do passado e talvez das questões mal resolvidas. E é aí que as emoções podem aflorar. Alguns tentam ignorar, outros partem para o vitimismo.

Não julgo as pessoas que ficam tristes no natal. Só Deus e elas sabem o que se passou e as lembranças que esta época trazem. Porem, para estas pessoas tenho algumas considerações a fazer. O que achas de pensarmos em outros significados para estes dias? Sugiro pensares no passado, só que mais longe, bem mais longe... lá na história da criação. Vou começar do básico: Adão pecou. Para que a humanidade não se perdesse, Deus faz uma promessa (Gen 3. 15 e Rom. 8.20). Essa promessa é o verdadeiro natal. Deus estava falando de Jesus. Jesus escolheu vir até este mundo e morrer por nós, para que tenhamos uma eternidade com Deus. Jesus morreu por nós e por sua causa podemos morar no céu.

Acabei de lhes falar sobre a maior benção que Deus te deu. A sua graça. (Cadê o grito de Glória?). Acabei de falar do maior significado do natal. Se você parar para pensar, verás que Deus lhe deu muito mais do que merecias. Além da graça, Deus lhe deu nos natais passados, oportunidades de conhecer pessoas maravilhosas (parentes), lhe permitiu experiências com seus pais para que fosses hoje mais forte. Apesar das coisas ruins que aconteceram, Deus estava lá. Só lhe resta saber o que Deus quis e pode lhe ensinar. Deus em sua Palavra não prometeu dias felizes, um crescimento tranquilo, familiares harmoniosos, Ele disse que no mundo teremos aflições. Mas essas aflições seriam suportáveis.

Quer se sentir mais feliz no natal a partir de hoje? Deus lhe diz: “Minha graça te basta”. Outras coisas que vem de bom, considere como lucro. Culpa-se de alguma coisa que fez no passado? Deus já o perdoou, (mais um motivo pra se alegrar). Vou repetir o clichê: “Natal é época de renovação”. Mas que renovação é essa? Da sua maneira de pensar sobre o passado. Renovar e relembrar que embora você não merecia, Deus te escolheu para viver com Ele. Se na época de natal pensares nisso, certamente estarás pensando no verdadeiro significado desta data. O convido a aproveitar estes dias: Visite e receba visitas, vá assistir os teatros, ouvir as musicas (e convide pessoas para assistir as peças e musicas da igreja).

Presenteie, participe de amigo secreto, encerramentos, enfeite a casa e contribua para que seus “parentezinhos” (crianças da família) tenham ótimas experiências para recordarem quando forem adultas. Lembre-se que a tristeza é opcional. Se queres ficar recluso e triste no natal, a escolha é
sua. Pense Jesus, pense em Jesus. Feliz Natal!